Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora:

Band Coruja
No comando: BAND CORUJA

Das 00:00 as 04:59

Band Bom Dia
No comando: BAND BOM DIA

Das 05:00 as 05:59

Hora do Ronco
No comando: A HORA DO RONCO

Das 06:00 as 08:59

BandFM
No comando: “Programação Musical”

Das 07:00 as 07:59

No comando: Band Ao Vivo

Das 09:00 as 09:59

ManhaShow
No comando: MANHÃ SHOW

Das 09:00 as 10:59

HORACHEIA2
No comando: Hora Cheia 1ª Edição

Das 11:00 as 12:00

QuemAma
No comando: “Quem Ama Não Esquece”

Das 11:00 as 12:00

No comando: Festa da Band

Das 12:00 as 12:59

Super 6
No comando: #Super6

Das 13:00 as 13:59

Tarde
No comando: “Tarde da Band”

Das 14:00 as 16:00

No comando: Hora Cheia

Das 15:00 as 16:00

HORACHEIA2
No comando: Hora Cheia 2ª Edição

Das 15:00 as 16:00

No comando: Toca Todas

Das 16:00 as 17:00

TocaTodas
No comando: “Toca Todas”

Das 16:00 as 17:00

Super 6
No comando: “Super 6”

Das 17:00 as 17:30

No comando: Hora Cheia

Das 17:00 as 18:00

BandFM
No comando: “Programação Musical”

Das 17:30 as 18:00

No comando: Band Ao Vivo

Das 18:00 as 19:00

05
No comando: BAND AO VIVO

Das 18:00 as 19:00

BandFM
No comando: “Programação Musical”

Das 19:00 as 20:00

BandFM
No comando: “Estação Band FM”

Das 19:00 as 21:00

No comando: Hora Cheia

Das 20:00 as 21:00

HORACHEIA2
No comando: Hora Cheia 3ª Edição

Das 20:00 as 21:00

HORACHEIA
No comando: LIBERTA

Das 20:00 as 21:00

No comando: Eu te encontrei

Das 20:00 as 21:00

No comando: Voz do Brasil

Das 21:00 as 22:00

No comando: Band Love

Das 21:00 as 23:00

No comando: Pista da Band

Das 21:00 as 23:00

11
No comando: BAND LOVE

Das 22:00 as 24:00

Pela 1ª vez, mundo tem ‘mais avós do que netos’

Compartilhe:
VOVOS

Pela primeira vez na história, há mais idosos no mundo do que crianças pequenas, informou a ONU.

São 705 milhões de pessoas acima de 65 anos contra 680 milhões entre zero e quatro anos.

As estimativas apontam para um crescente desequilíbrio entre os mais velhos e os mais jovens até 2050 – haverá duas pessoas com mais de 65 anos para cada uma entre zero e quatro anos.

Essa desproporção simboliza uma tendência que os demógrafos vêm acompanhando há décadas: na maioria dos países, estamos vivendo mais e tendo cada vez menos filhos.

Redução da natalidade

Christopher Murray, diretor do Instituto de Métricas de Saúde e Avaliação da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, diz à BBC: “Caminhos para uma sociedade com poucas crianças e muitos idosos e isso representa um desafio”.

Murray também é autor de um artigo de 2018 no qual sugeriu que quase metade de todos os países do mundo está enfrentando uma “redução da natalidade” – o que significa que há crianças insuficientes para manter o ritmo de crescimento populacional.

“Pense em todas as profundas consequências sociais e econômicas de uma sociedade com mais avós do que netos”, acrescenta.

Em 1960, a taxa mundial de fecundidade era de quase cinco filhos por mulher, segundo o Banco Mundial.

Quase 60 anos depois, caiu para apenas 2,4.

Ao mesmo tempo, os avanços socioeconômicos beneficiaram quem nasceu nesse período. Em 1960, as pessoas viviam em média pouco mais de 52 anos; a expectativa de vida atual atingiu 72 anos em 2017.

Isso significa que estamos todos vivendo mais e demandando cada vez mais recursos à medida que envelhecemos, aumentando a pressão sobre os sistemas de saúde e previdenciário, por exemplo.

Impacto econômico

O declínio e o envelhecimento das populações resultam em menos pessoas na força de trabalho, o que, por sua vez, pode levar a uma diminuição da produtividade econômica. Isso acaba prejudicando ainda mais o crescimento.

Em novembro passado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou que a economia do Japão poderia encolher mais de 25% nos próximos 40 anos devido ao envelhecimento da população.

“A demografia afeta todos os aspectos de nossas vidas – basta olhar pela janela para as pessoas nas ruas, para as casas, para o trânsito, para o consumo. Tudo isso é impulsionado pela demografia”, diz à BBC Brasil George Leeson, diretor do Instituto de Envelhecimento Populacional da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Fonte, direito e reprodução: BBC

Deixe seu comentário:

Eventos

Promoções

Facebook