Pedido de Música

Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

LUCAS LUCCO ADMITE QUE USOU ANABOLIZANTES - Band FM - Campinas

LUCAS LUCCO ADMITE QUE USOU ANABOLIZANTES

Aos 30 anos, Lucas Lucco tem um corpo que chama atenção. O artista se dedica à alimentação saudável, além dos treinos periódicos. É seu estilo de vida. Mas nem sempre foi assim. Lucas conta que, quando era mais jovem, fez uso de anabolizantes. Nas palavras do próprio: se “enchia de bomba”. Parou de usar quando estava no início da carreira como cantor.

“Antes da carreira (musical), eu enchia o c# de bomba. Moleque, né? Morava fora já, com 16 anos eu saí de casa. Bomba, treino, musculação… Aí, quando eu comecei a carreira, de fato, shows para caramba, 30 num mês, as bombas começaram a dar um negócio na minha cabeça. Porque mexe com emocional. Aí, minha mãe e meu pai chamaram o Muzy (Paulo, que é médico)”, conta ele, durante um papo no podcast “Podpah”.

Ele acrescenta: “Fizemos uma reunião lá em um hotel que eu estava, sentou meu pai, minha mãe e o Muzy, e foi como se meus pais tivessem entregado (para o médico): ‘Toma que o filho é seu, você precisa regular esses trens, o moleque está muito nervoso’ “. O artista mudou o estilo de vida e é acompanhado pelo mesmo médico até hoje.

Durante a conversa, Lucas diz ainda que, mais jovem, abandonou outro hábito: ingerir bebida alcoólica. Isso porque ele considera que era muito brigão. Atualmente, não sente nem falta.
“(Também) antes da carreira, morava em uma república em Patos de Minas. E a gente bebia demais. Toda vez fazia merda”, contou: “Brigava, apanhava… Uma vez nós fomos para outra cidade, eu e uns amigos, a gente apanhou. Apanhei de quatro caras de uma vez. Falei: ‘não, não combino com álcool. Acho melhor parar’. Aí até hoje.. Também não sinto falta.”

Pabllo Vittar

No papo, o cantor lembrou da parceria com Pabllo Vittar, na música “Paraíso”, que teve ainda um clipe sensual protagonizado pelos dois. Segundo Lucas, setores mais conservadores da música o criticaram pelo trabalho na época e ainda o fazem.

“Essa galera da cena trap, rap e funk tem a cabeça mais aberta. Galera que pensa mais à frente. No sertanejo ainda tem muito essa parada do conservadorismo… Recebi muita crítica por conta (desse clipe). Muita mesmo. Especialmente do público sertanejo. Até hoje. Tem gente que fala ‘o cara acabou com a carreira dele’… Coisas desse nível”, diz o cantor, que conclui o raciocínio:

“Mas esse é meu papel como artista. Quero chegar daqui 50 anos e falar assim: ‘poutz, eu tive um pouquinho, tem um pedacinho meu aí contra o preconceito’ “.

Fonte – Extra

Deixe seu comentário:

2021 © Todos os Direitos reservados - Band FM Campinas 106,7 - Grupo Bandeirantes de Comunicação